Código dos bancos

O que fazer ao fazer transferência com código dos bancos errado?

A realização de transferências como TED e DOC exige que você identifique qual é a instituição em que a conta favorecida pelo valor está atrelada. Mas o que fazer ao indicar o código dos bancos? Tem como reverter a situação?

Essa é uma situação que não raro acontece. Afinal, existem até mesmo instituições bancárias que possuem mais de um código, o que pode causar confusão. A boa notícia, então, é que tem como reverter a situação. Ou seja, você não sairá prejudicado.

Para saber o que fazer nesse tipo de ocasião, continue lendo. Abaixo você encontra todas as informações relevantes sobre os códigos de identificação de bancos e o que fazer ao errar na indicação deles em uma transferência.

Código dos bancos

Quer conhecer todos os códigos dos bancos? No portal MEU CARTÃO DE CRÉDITO você tem acesso à lista atualizada. Confira: https://www.meucartaodecredito.com.br/blog/codigo-dos-bancos-veja-a-lista-atualizada/

Erro no códigos dos bancos: Fique atento

Ao fazer uma transferência bancária no modelo TED ou DOC, você precisa dar uma série de informações ao seu banco. Por exemplo, o número da conta e da agência que receberá os valores. Igualmente, qual é a instituição à qual ela se atrela.

É justamente aqui que entram os códigos dos bancos. Afinal, eles são os responsáveis por identificarem a instituição. Nesse caso, elas têm representação por códigos de 03 dígitos, e não necessariamente por seus nomes, que podem ou não constar ao lado deles.

Portanto, esses códigos são extremamente importantes. São eles que irão direcionar o valor da transferência, identificando qual é a pessoa que irá se beneficiar e qual é a instituição cuja conta pertence.

Mas ao errar, o que acontece? Outra pessoa será favorecida? É possível reverter a situação? Não entre em pânico, pois há soluções. Continue lendo e confira abaixo o que fazer nesses casos.

O que fazer ao errar o número do código dos bancos em uma transferência?

Caso isso tenha ocorrido com você, respire e se acalme. Não há motivo para desespero, pois existem diversas soluções. Algumas delas, aliás, ocorrem automaticamente, sendo que você pode sequer ter que tomar alguma atitude.

Conforme dissemos acima, os códigos dos bancos os identificam para uma transferência. Entretanto, esses não são os únicos elementos de identificação na transferência, não é mesmo?

Considere, por exemplo, que você deve indicar o número do CPF do beneficiário da transferência. Igualmente, o seu nome, bem como os números da agência e da conta. Por isso, há uma série de informações que ficam disponíveis.

Assim, note que o sistema, ao conferir para quem deve transferir aquele valor, notará que não há correspondência de dados. Por exemplo, nesse caso o banco da indicação não terá cliente com o nome, CPF, conta e agência que você indicou.

Dessa maneira, há o cancelamento da transferência e o estorno do valor novamente para a conta de origem. Ou seja, para a sua. Contudo, isso pode levar algumas horas. Por isso, caso queira desde logo resolver a situação, também existem formas.

Nessa hipótese, entre em contato com o seu banco. Isso pode ser feito por WhatsApp, Central de Atendimento Telefônico ou mesmo por chat. Além disso, você pode ligar diretamente na sua agência, contatando o gerente da sua conta.

Aqui, então, há a informação do erro. Com isso, o banco pode acelerar o estorno do valor para a sua conta. Essa solução também está presente em caso de cancelamento de TED ou DOC, mesmo que com os dados corretos, desde que a reclamação ocorra dentro do prazo de transferência dos valores.

Código dos bancos

Como evitar transações que necessitem do código dos bancos?

As transações como DOC e TED exigem inúmeros dados, o que pode fazer com que você perca tempo sem necessidade. Ou, ainda, pode levar a erros como estes em que a transferência não se faz possível pelo erro nas informações.

Além disso, considere que essas transferências são as mais caras do mercado. Portanto, é interessante considerar outras formas de movimentar o seu dinheiro, sem abrir mão das transferências.

Por exemplo, você pode fazer uso do PicPay. Esse aplicativo permite que você realize pagamentos e transferências com o saldo do seu cartão de crédito, sem que pague taxas para isso. 

Além disso, seu funcionamento é gratuito e as transações são em tempo real, independentemente de ser, ou não dia útil. Para realizar a transação basta conceder o nome do usuário no PicPay ou seu número do celular.

Outra possibilidade de fugir de transações que exigem a informação dos códigos dos bancos é o uso do Pix. Essa ferramenta entrou em vigor ao final do ano passado e pertence ao Banco Central. Sua incorporação ocorreu pela grande maioria dos bancos.

Nesse caso, a transação também é gratuita. Outro fator que se repete é que ela ocorre em tempo real, independentemente do dia ou horário em que ocorre. 

Coincidentemente, também, requer a concessão de um código de identificação do destinatário do valor. Aqui, as opções são o número do celular, e-mail ou CPF/CNPJ do indivíduo ou, ainda, um código aleatório que o próprio banco concede.

Published by